[Cipriano Dourado]

[Cipriano Dourado]
[Plantadora de Arroz, 1954] [Cipriano Dourado (1921-1981)]

sexta-feira, 4 de setembro de 2015

[1073.] BERENICE PEREIRA GOMES [I]

[1913-2004]

[Berenice com o irmão, in Soeiro Pereira Gomes na esteira da Liberdade, Edição da Câmara Municipal de Vila Franca de Xira e Museu do Neo-Realismo, 2009]

Professora do ensino primário. 

Filha de Celestina Soeiro Pereira Gomes e de Alexandre Pereira Gomes, nasceu a 3 de Março de 1913 e morreu, no Porto, a 21 de Fevereiro de 2004. 

Irmã de Joaquim, Alice, Alexandre, Jaime e Alfredo Pereira Gomes, nasceu, tal como os últimos quatro, em Espinho, na casa da tia-avó Leopoldina da Costa, que desempenhava o cargo de chefe dos telefones e era também parteira naquela localidade. 

Oriunda de uma família da média burguesia rural do concelho de Baião, cresceu e viveu em Gestaçô até 1924, ano em que o pai, proprietário rural de ideias republicanas, “que soube transmitir a todos os filhos, amplos ideais de liberdade e democracia” [Giovanni Ricciardi, p. 116], se mudou com os quatro filhos mais novos para o Porto, onde Alice Pereira Gomes [1910-1983] estudava, enquanto Joaquim Soeiro Pereira Gomes [14/04/1909-05/12/1949] frequentava em Coimbra o curso de engenheiros agrícolas da Escola Nacional de Agricultura. 

Se a intervenção política de Berenice não pode ser equiparada à de Joaquim ou de Alice, em determinado momento a “passionária” da família e activista do Socorro Vermelho Internacional presa em Outubro de 1936, juntamente com Adolfo Casais Monteiro, foi, no entanto, uma das centenas de activistas da Delegação do Porto da Associação Feminina Portuguesa para a Paz, sendo a sócia nº 329. 

[João Esteves]

Sem comentários: