[Cipriano Dourado]

[Cipriano Dourado]
[Plantadora de Arroz, 1954] [Cipriano Dourado (1921-1981)]

sexta-feira, 20 de abril de 2018

[1793.] AFONSO DE MOURA [I]

* AFONSO DE MOURA || ANARQUISTA || DEPORTADO PARA CABO VERDE EM 1931, ONDE FALECEU EM 7 DE DEZEMBRO *

Filho de Amélia Machado de Moura e de Augusto de Moura, Afonso de Moura nasceu em 1897, em Coimbra. 

Cerâmico, era um conhecido anarquista e libertário de Coimbra, tendo participado no respectivo associativismo nas décadas de 1910 e de 1920. 

Com a Ditadura Militar, por estar identificado como anarquista, foi preso uma primeira vez em 10 de Maio de 1927, sendo libertado no mesmo dia.

Novamente preso em 23 de Dezembro de 1930, acusado de estar envolvido na organização de um grupo civil contra a Ditadura, juntamente com Henrique Magalhães e Hermenegildo Granadeiro [Processo 4745, enviado ao Tribunal Especial de Instrução]. Casado, residia, então, na Rua dos Esteireiros. 

Deportado para Cabo Verde em 6 de Junho de 1931, embarcou no vapor "Pedro Gomes".

Faleceu em 7 de Dezembro de 1931, "pelas 12 horas e 30 minutos, na Ilha de São Nicolau da Colónia de Cabo Verde, onde se encontrava deportado" [ANTT, Cadastro Político 2551].

Roberto das Neves descreve-o como "um dos homens mais inteligentes, mais leais e mais destemidos que tenho conhecido, uma espécie de Suvarine do Germinal de Zola, e que, por tudo isto, foi, mais tarde preso e deportado, pelo governo do sr. dr. Oliveira Salazar, para África, onde morreu de febres" ["O Diário do Dr. Satã", A Ideia, 75-76,  Outono de 2015].

Fonte:
ANTT, Cadastro Político 2551 [Afonso de Moura / PT-TT-PIDE-E-001-CX05_m0280].

[João Esteves]

Sem comentários: