[Cipriano Dourado]

[Cipriano Dourado]
[Plantadora de Arroz, 1954] [Cipriano Dourado (1921-1981)]

segunda-feira, 29 de janeiro de 2018

[1716.] ANTONINO FRANCISCO [I]

* ANTONINO FRANCISCO || DEPORTADO PARA ANGRA DO HEROÍSMO E TARRAFAL *

Carpinteiro, Antonino Francisco esteve, pelo menos oito anos preso, passando pelo Aljube, Caxias, Peniche, Fortaleza de Angra do Heroísmo e Tarrafal.

[Antonino Francisco - 1933 || ANTT || RGP/9]

Filho de Maria dos Prazeres e de Nicolau Francisco, Antonino Francisco era natural de Ervidal da Beira.

Integrou, em 19 de Novembro de 1933, a leva de 143 presos políticos que embarcou no vapor Quanza, fundeado a cerca de 500 metros da praia sul de Peniche, com destino à Fortaleza de São João Baptista, em Angra do Heroísmo, onde chegou a 22.

Regressou dos Açores um ano depois, em 9 de Novembro de 1934 e saiu em liberdade no dia seguinte.

Em 4 de Novembro de 1936, foi detido para averiguações e mantido, incomunicável, numa esquadra; depois, em 3 de Dezembro, passou para a 1.ª Esquadra e, finalmente, seguiu para o Aljube no dia 19. 

Durante o primeiro semestre de 1937, andou entre o Aljube e a 1.ª Esquadra e, em 5 de Junho, seguiu para o Tarrafal, ali permanecendo entre 12 de Junho e 16 de Março de 1941.

Enviado para Caxias, aí permaneceu até ser julgado, em 19 de Julho, pelo Tribunal Militar Especial, tendo a pena de degredo sido substituída por dois anos de prisão correccional, dada por expirada com o tempo de prisão sofrida. No entanto não foi solto nesse dia, como indicava o mandado de soltura, continuando em prisão preventiva por decisão da Polícia de Vigilância e Defesa do Estado.

Em 24 de Julho foi, pela última vez, transferido para Peniche e libertado em 25 de Dezembro de 1941.

[Fotografia de 27/03/1941 || ANTT || RGP/9]

O nome que consta do Memorial de Homenagem aos Ex-Presos Políticos, inaugurado na Fortaleza de Peniche em 9 de Setembro de 2017.

Fonte: ANTT, RGP/9.

[João Esteves] 

Sem comentários: